Avaliação da quantidade de óleo e sal adicionados à alimentação escolar em creches da cidade de Nova Odessa-SP

Elisa de Almeida Jackix, Fernando Borrego, Aline Rodrigues Stenico, Juliana Pissaia Savitsky, Glenys Mabel Caballero Córdoba

Resumo


Considerando o aumento da prevalência de doenças crônicas não transmissíveis no Brasil e os esforços do governo para diminuir a oferta de alimentos ricos em sódio e gordura, este estudo teve como objetivo principal avaliar a quantidade de sal e óleo presentes em refeições produzidas em 5 creches municipais (CMEI’s) e comparar com o valor de referência adotado pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Constatouse que a quantidade de sal adicionada às preparações atingiu teores totais por refeição de 2,42 g/criança, estando acima do teor máximo de sal preconizado pelo PNAE. Concluiu-se que as refeições distribuídas em escolas devem ser revisadas para não superar o limite de 1g de sal/refeição/aluno e manter limites saudáveis de lipídeos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.