A Eritropoetina Recombinante no “Doping”: uma Atualização da Literatura

  • Patricia Ucelli Simioni Faculdade de Americana- FAM
  • Natallia Oliveira da Silva Faculdade de Americana (FAM)
  • Luiz Antonio Aparecido Faculdade de Americana (FAM)

Resumo

A busca de resultados significativos por atletas de alto rendimento e em suas modalidades é uma constante no meio esportivo. Entretanto muitos atletas acabam recorrendo a métodos ilícitos para chegar a sua melhor performance. Entre esses métodos está o uso de eritropoetina, um hormônio endógeno, secretado principalmente pelos rins, cuja principal função é regular a eritropoiese. O produto biotecnológico recombinante, a eritropoetina humana recombinante (rHuEPO), produzida para fins terapêuticos, é utilizada indiscriminadamente por atletas nos esportes nos quais a necessidade de resistência é mandatória. A rHuEPO aumenta a porcentagem de  hemácias e hemoglobina, possibilitando maior aporte de oxigênio aos tecidos. A  rHuEPO é considerada uma substância  ergogênica que pode  causar sérios riscos à saúde. A rHuEPO foi proibida pelo Comitê Olímpico Internacional e pela Agência Mundial Antidoping no final dos anos 80, sendo seu uso considerando como “doping”. O presente trabalho visa relatar as implicações do uso de eritropoetina humana sintética no doping, bem como avaliar os riscos iminentes do seu uso no desempenho esportivo dos atletas.

Biografia do Autor

Patricia Ucelli Simioni, Faculdade de Americana- FAM
Docente IV do curso de Biomedicina e Farmácia da FAM. Graduada e licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Campinas -UNICAMP (1991-1994), mestre em Biologia (Imunologia) (1995-1998), doutora em Genética e Biologia Molecular (Imunologia) (200-2004) e pós-doutora em Imunologia com bolsa FAPESP (2006-2008) pela UNICAMP . Fui docente da Faculdade Integração de Tietê, Tietê, SP (2006- 2010). Fui docente de pós-graduação no curso de Genética e Biologia Molecular da UNICAMP (2010-2011). Fui bolsista SET CNPq (2010), pesquisadora e supervisora (2010-2012) da área de Biotecnologia na empresa Nanocore Biotecnologia S.A. Atualmente, atuo como docente na Faculdade de Americana -FAM, no curso de Biomedicina e Farmácia (2012 até o presente) e pesquisadora colaboradora do Departamento de Genética, Evolução e Bioagentes do Instituto de Biologia da UNICAMP (2012 até o presente). Dedico-me à Imunologia Básica e Aplicada, com ênfase nos seguintes temas: cultura de células, tolerância, doenças autoimunes, envelhecimento e células dendríticas, proteínas recombinantes, anticorpos monoclonais e teste de tratamentos antitumorais.
Publicado
2019-07-27